Toque de Bola


 
 

Brasil x Chile

http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2011/01/com-magia-de-neymar-sub-20-inicia-hexagonal-na-cidade-de-vargas-llosa.html

Data: 01/02/2011 - Hora: 00:10

Local: Universidad Nacional San Agustín, Arequipa, Peru

 

 Hoje começa a fase hexagonal final do Pré-olímpico Sulamericano Sub-20 para o Brasil. E nada melhor que começar bem, pegando um time freguês da seleção: o Chile.

 Galvão Bueno já dizia: a fase é difícil? Marca jogo com o Chile que melhora. E sem exageros, tem sido assim há muito tempo.

 Há de se respeitar, é claro. Mas não dá pra perder.

 

 Neymar volta ao time, e todo mundo sabe que com ele a coisa melhora. É a referência, o dono do time por natureza. É pra ele que a bola vai, pra quem procuram quando o jogo tá difícil, e ele sempre resolve.

 E é só o Brasil resolver jogar bola que fica tudo bem.

 Nos jogos contra o Equador e contra a Bolívia, o Brasil pecou demais, ou achou que estava com o jogo ganho ou teve preguiça de criar uma jogada. Lições devidamente aprendidas, bola pra frente.

 Podemos esperar uma seleção mais madura, entrosada e pronta pra ganhar. E é claro, Neymar em grande noite, voltando ao time e louco pra jogar bola. E Neymar querendo jogar bola é um perigo.

 O técnico Ney Franco continua apostando num esquema mais ofensivo, com três atacantes, colocando agora o Oscar pra jogar mais a frente, e deixando William José como o centroavante fixo, ganhando o lugar do Henrique, ambos do São Paulo.

 Além dele, o volante Fernando parece mesmo ter ganhado a confiança do coach e vai começar jogando no lugar do Zé Eduardo, antes titular, que acabou se queimando depois de um cartão vermelho logo no primeiro jogo.

 

 No lado chileno, dois destaques: Pinto e Carrasco, que dizem que são matadores e perigosos, destaques até aqui.

 E pra cima da defesa brasileira que já mostrou falhas, é capaz que complique se nos discuidarmos. Mas eu duvido.

 

 Lembrando que nessa fase, são todos contra todos, e o Brasil ainda vai pegar Argentina, Equador, Uruguai e Colombia. Portanto, cada vitória é essencial pro título.

 Dois seis, quatro garantem vaga pra Copa do Mundo Sub-20 e dois carimbam passaporte pras Olimpíadas de Londres.

 E é obrigação levar as duas vagas. Temos mais time, apresentamos o melhor futebol, fizemos mais gols e fora isso, eu sou mais Brasil =)

 

Brasil: Gabriel, Danilo, Bruno Uvini, Juan e Alex Sandro; Fernando, Casemiro, Lucas, Oscar e Neymar; Willian José

Chile: Alfáro, Magaña, Opazo, Casanova; Reyes, Marquez, Martinez e Pinarez, Carrasco, Pinto e Gallegos



Categoria: Evento
 Escrito por Danilo Albuquerque às 21h23 [] [envie esta mensagem] []






Ufanatismo

 De todos os clássicos entre clubes do futebol mundial, dizem que nehum se compara a Fenerbahçe x Galatasaray.

 Aqui no Brasil, de FlaFlu à SanSão, as torcidas fazem duas, três rivalidades por estado, o que não acontece em muitos lugares do mundo.

 Mas é inegável que, apesar do Brasil ser o país do futebol, os mais fanáticos ensandecidos torcedores estão lá pro Velho Continente.

 

 Não estou dizendo que aqui não tem gente fanática. Muito pelo contrário.

 Já disse o poeta, que em se tratando de política, religião e futebol, qualquer discussão se torna um risco de morte. Envolve paixões, muitas vezes incosequentes e desmedidas. Uma carga inflamável.

 Mas em alguns lugares da Europa, principalmente Inglaterra, o ato da barbarização e do vandalismo já se tornaram profissão: hooliganismo.

 

 Protestos em campos de futebol que chegam a adiar jogos, conflitos com a polícia e com as torcidas adversárias, crimes, assassinatos, tudo "em nome" do time amado, da paixão inexplicável pelo seu clube do coração. Mas pra mim, isso não é paixão, isso é DOENÇA.

 Esta foto estampou algumas páginas de jornais de hoje. Torcedores do Liverpool queimando a camisa do espanhol Fernando Torres, que acertou contrato com o time rival, o Chelsea.

 Tudo bem, foi só uma camisa queimada.

 Mas o mesmo torcedor que de dispõe a queimar uma camisa oficial do Liverpool (que diga-se de passagem é cara), fotografar e deixar que fotografem, é o mesmo que vai em estádio só pra brigar. Você considera isso um torcedor?

 

 Entende-se a revolta. Torres era um dos pilares do fraco time do Liverpool, e deixou o clube por 133 milhões de reais pra ir jogar no rival. Ok, o torcedor interpreta de várias formas.

 No Brasil casos bem comuns aconteceram também: Thiago Neves no Flamengo, Danilo no Corinthians etc.

 Com certeza alguém, em algum lugar, deve ter queimado alguma camisa desses dois citados ou de outros. É direito do torcedor, mas não é um atitude louvável, é bastante conclusiva se querem saber. Dá pra ter uma ideia de como é a pessoa e seu caráter.

 

 E saibam de uma coisa: futebol hoje é puro negócio.

 Um atleta não pensaria duas vezes em trocar de clube e ir para um rival porque ele pagou mais. E isso está tão comum que eu estou mudando os meus conceitos de mercenário.

 É difícil entender, dá a impressão de traição, ingratidão. Mas o futebol é assim, jogadores vem, jogadores vão. E o dinheiro é quem movimenta tudo isso, não a ingratidão.

 

 Mas quem vai compreender uma coisa dessas?

 

 Eu pelo menos não chegarei ao ponto de queimar uma camisa de um craque do meu time se ele for jogar num rival. Até porque eu tenho amor ao meu dinheiro.



 Escrito por Danilo Albuquerque às 20h37 [] [envie esta mensagem] []






 
 

O futebol não é uma questão de vida ou de morte. É muito mais importante que isso..."

Autor: Bill Shankly

Buscar na Web "Bill Shankly"



Categoria: Citação
 Escrito por Danilo Albuquerque às 21h20 [] [envie esta mensagem] []






Justamente injusto

 Dizem que no futebol, não há justiça. Mas eu não sabia que isso se aplicava também ao futebol de areia.

 

 Eu desdenhei.

 Depois de vencer a Argentina no futebol de areia, o que com certeza traz uma felicidade plena, a final contra o Uruguai não tinha o mesmo valor que foi ganhar dos hermanos. Nunca terá, diga-se de passagem.

 Mas eu admito: sofri vendo o jogo. E o resultado foi uma pena.

 

 Depois de estar perdendo o jogo por 2 a 1, nuam virada relâmpago na bobeira da defesa brasileira, o Uruguai simplesmente se retrancou e esperou o jogo acabar. Faltava tempo, o risco era grande e o adversário é o Brasil.

 Pagaram o pato. Vira-vira brazuca, 3 a 2 no placar, vitória encaminhada. Mas não consumada.

 Numa jogada irregular, que particularmente me lembrou daquela Argentina da Copa de 86, o Uruguai empatou com um gol de mão e levou o jogo pros pênaltis.

 

 Dizem que pênalti é loteria, sorte. Eu não acreditava muito nisso, mas a verdade é que a sorte era albi-celeste e não verde e amarela.

 Benjamin, logo ele, que completava 300 jogos pela seleção, BATEU MUITO MAL seu pênalti, logo o primeiro da série, e como quem erra está fora, o Brasil parou nas mãos do bom goleiro uruguaio Diego e viu a festa estrangeira em pleno território nacional.

 

 Além do gol de mão, absurdo, e do fato do time se retrancar em boa parte do jogo, outra coisa me frustrou e fez acreditar na ausência de justiça no futebol: Mão.

 Não a do atacante uruguaio, mas a do goleiro brasileiro.

 Mão é o goleiro da Seleção Brasileira já há algum tempo e atualmente é um dos melhores na posição. O jogo que ele fez pelo Brasil hoje, como diria o @zgraça1, foi MÍÍÍÍÍTICO! xD

 Era cada defesa inacreditável, plástica, quase impossível, digna de um porteiro brasileiro.

 Um cara desses merecia pegar um pênalti e merecia pegar uma taça.

 

 Realmente, justiça no futebol é coisa rara.

 Mas não há de se negar que o futebol de areia, não só dos uruguaios, mas mundial cresceu muito nos últimos anos, deixando o Brasil, que antes era o melhor disparado, no mesmo nível dos outros países.

 Hora de correr atrás, aprender com os erros e melhorar. Quem se estagna, se abstém.

 

 Mas dos males, o menor. Os campeões azuis podiam ser listrados.

(Argentina quarto lugar, CHUUUUUUUPA)


 Antes de acabar o post, queria deixar clara a minha revolta.

 

 É simplesmente HORROROSO ver um uniforme da Seleção Brasileira de jogo com patrocínio no peito e nas mangas.

 Com os clubes, tudo bem, fazem parte do orçamento. Mas seleção é outra coisa, há de se respeitar. Temos uma camsia muito importante pra virar uma colcha de retralhos, um outdoor cheio de anúncios.

 

Se você pensa o mesmo que eu ou tem outra opinião a respeito, comente!



 Escrito por Danilo Albuquerque às 21h16 [] [envie esta mensagem] []






Até quaaaando, Julio Cesar!?

 Essa é pra quem questionou.

 

 Mano Menezes convocou seus jogadores pro amistoso contra a França e trouxe de volta o goleiro Julio Cesar, de qualidade incontestável, melhor do mundo, titular absoluto. Falhou contra a Holanda, mas quem se importa? Felipe Melo já levou a culpa.

 Tem créditos com o torcedor brasileiro e parece que com o novo manager da seleção também.

 Mas nem tanto com os críticos. Ouvi gente dizendo que a convocação foi um equívoco, se sustentando no argumento de que Julio estava machucado há um mês e estava sem ritmo de jogo e fora da forma física.

 

 Mas hoje ele mesmo tratou de provar o contrário.

 

 O novo técnico Leonardo mantinha uma série de cinco jogos invictos até perder no fim de semana passado.

 No jogo de hoje contra o Palermo, a Inter começou perdendo por 2 a 0 e conseguiu a incrível façanha de virar o jogo.

(OBS: eu que estava assistindo o jogo dei por acabado ao ver 2 gols no primeiro tempo. Mudei de canal e perdi os da Inter ¬¬)

 Até agora eu quero entender se esse Leonardo é bom mesmo. Por que não deu certo no Milan e está arrebentando na Inter? Se fosse pela identificação, os rossoneri levavam certa vantagem. Mas meu destaque não é pra ele.

 

 Julio Cesar, que não teve culpa nos gols que levou, simplesmente defendeu um pênalti!

 Pode parecer comum a notícia, mas o que realmente importa foi: DEFENDER UM PÊNALTI DE UM ARGENTINO! Hahahaha!

 Javier Pastore, considerado revelação do futebol argentino e do campeonato italiano, parou num goleiro que não jogava desde o ano passado! Hahaha!

 

 É rivalidade, amigo, aqui qualquer escorregada argentina é motivo de comemoração!

 

 Bom ver Julio em forma e bom ver o Leonardo fazendo um trabalho maravilhoso num clube que depois que ganhou o Mundial, não ganhava mais nada.

 Aprende, Rafa Benítez =)



 Escrito por Danilo Albuquerque às 20h21 [] [envie esta mensagem] []






 
 

Final sem clássico

http://globoesporte.globo.com/programas/verao-espetacular/noticia/2011/01/brasil-dribla-o-calor-vence-argentina-e-pega-o-uruguai-na-final-da-copa-latina.html

Data: 30/01/2011 - Hora: 09:30

Local: Rio Quente, Goiás

 

O Brasil venceu a Argentina no futebol de areia por 3 a 1 hoje pela manhã e foi pra final da Copa Latina de Futebol de Areia.

 É amanhã a decisão contra o Uruguai, que bateu o México por 3 a 2.

 

 O jogo é uma marca para o craque Benjamin, que completa 300 jogos pela Seleção Brasileira, o segundo a conseguir alcançar tal marca, perdendo apenas para Junior Negrão.

 

 A final é um grande jogo, claro, mas todo mundo prefere ver Brasil e Argentina numa final. Evidentemente que não deu pra acontecer, pois o confronto se deu na fase anterior.

 Mas ganhar dos hermanos é bom em qualquer esporte e em qualquer fase!

 Então o Uruguai que se dane, vencemos a Argentina! CHUUUUPA!!! =P

 

 A partida tem transmissão ao vivo pelo Esporte Espetacular da Globo.



Categoria: Evento
 Escrito por Danilo Albuquerque às 23h29 [] [envie esta mensagem] []






Uma chance

 

 Apoiada na popularidade recente do Qatar, a AFC (associação continental da Ásia e da Oceania de futebol) realizou a Copa da Ásia, que garante vaga na Copa das Confederações a ser realizada em 2013 no Brasil.

 Todo mundo sabe que o futebol não é lá o esporte mais bem praticado por aquelas bandas, e que os países de lá nunca tiveram muitas chances em Copas do Mundo, assim como a África.

 Mas tenho lá minhas dúvidas se essa inferioridade continua.

 

 Tanto Gana na Copa do Mundo quanto o TP Mazembe no Mundial Interclubes deixaram bem claro ao mundo uma coisa: HÁ DE SE RESPEITAR O FUTEBOL AFRICANO (bem como diria Galvão Bueno).

 Não sei se já estão respeitando, mas enfim.

 E a escolha do Qatar e da Russia para sediarem as próximas Copas (depois da do Brasil) mostraram que o futebol está crescendo e se ampliando, ultrapassando fronteiras e conquistando novas terras.

 Foi um pequeno passo rumo a "indepedência futebolística dos abastados".

 Mas seja na gelada Russia ou no escaldante Qatar, o futebol ainda é dividido entre europeus e sulamericanos. Sorry

 Pois então, hoje foi a final da Copa da Ásia entre Japão e Austrália (...)

U___U

 Não, eu sou bom em geografia, a Austrália não fica na Ásia, eu sei, mas ela participa como "convidada especial". Até porque na Oceania não tem como ter um campeonato. Seria sempre Austrália x Nova Zelândia!

 

 Mas voltando,

o Japão bateu a Austrália, num jogo muito emocionante, indo a prorrogação e cravado com um golaço de Tadanari Lee.

 E sim, o nome é engraçado xD

 

 Mas o problema é que com o Japão sempre acontece isso.

 Assim como o Botafogo é famoso por sempre bater na trave no carioca (me desculpe, mas é a verdade), o Japão é famoso por sempre bater na trave em seus times. Quando a gente pensa que a fase é boa, vem um adversário difícil e tudo acaba.

 É um sempre quase irritante. Mais ou menos o que a Espanha era até ano passado.

 Devo lembrar-lhes da Copa no passado. O Japão tinha um bom time, e sem precisar de Nakamura e Nakata, chegou até as oitavas-de-final jogando bem, com a revelação Honda e pararam no fraco Paraguai. Outro quase pra coleção.

 

 A história começa desta vez da mesma forma. Título, expectativa. O que vem a seguir? Fracassos e frustrações?

 É hora de confirmar a tendência, é hora de mostrar o poder dos fracos. É a hora do Japão.

 

 Particularmente, sempre foi muito fã do Japão. Talvez seja por pura identificação e gosto pela cultura oriental, não pelo futebol. Então sou um pouco torcedor e um pouco parcial, admito, torço mesmo. Fiquei feliz com o título mesmo. Quero muito ver uma seleção forte daqui pra frente, brigando de igual para igual como qualquer uma outra.

 

 Caso contrário, títulos e glórias no futebol, só nos animes.



 Escrito por Danilo Albuquerque às 20h15 [] [envie esta mensagem] []






 
 

Indígena

http://uolesporte.blogosfera.uol.com.br/sem-categoria/nova-camisa-da-selecao-brasileira-tera-faixa-verde-no-peito/

Classificação:

 O Brasil vai fazer seu amistoso no dia 9 de fevereiro contra França, no Stade de France em Paris. A convocação já foi anunciada e eu já até comentei, enfim.

 Faltou falar do novo uniforme da seleção, que provavelmente estreará neste mesmo amistoso (ou então ficará pra junho, antes da Copa América).

 Venho falar dela aqui porque a Nike lançou uma terceira camisa da seleção, da cor preta, que foi vetada pela CBF. O órgão do futebol disse se apoiar numa lei que obriga que o time traga as cores da bandeira.

 Mas vendo este uniforme acima, eu realmente iria preferir jogar de preto.

 

 É RIDÍCULO.

 

A faixa no peito, segundo eles, significa uma "homenagem" aos índios brasileiros, simbolizando um "corpo fechado de guerreiro", daqueles indígenas prontos pro combate.

 Eu, se fosse um índio, me sentiria ofendido com essa "homenagem".

 Além de não lembrar em nada um índio, não simboliza qualquer alusão à combate. O que também seria horrível, estimular a guerra é um absurdo nos dias de hoje.

 E realmente, a nossa imagem no exterior é de sermos um país selvagem, habitado só por índios e nativos, que vivem no período neolítico só sabemos jogar futebol. Não é de se surpreender que a Nike é dos EUA...

 Além disso, essa faixa não tem nada de bela. Parece quando um time quer apagar um patrocinador da camisa, fica colocando um durex pra cobrir e não mostrar o nome. Estão escondendo o quê? Muito provavelmente a nossa vergonha...

 

 Não me lembro de ter visto outra camisa do Brasil que fosse tão feia como essa.

 Aliás, não me lembro de alguma outra camisa tão feia como essa.

 

 Cruz credo!



Categoria: Avaliação
 Escrito por Danilo Albuquerque às 19h43 [] [envie esta mensagem] []






Brincadeira séria

 

 Já ouviu a expressão "toda brincadeira tem um fundo de verdade?". Então, eu fiquei com ela hoje na cabeça, e queria analisar pra saber se fui só eu que tive essa impressão.

 

 A NBB virou coisa séria.

 Depois de clamores desesperados de gente como Oscar Schmidt, Hortência e Janeth, especialistas da bola laranja, a CBB enfim decidiu tomar vergonha na cara, se organizar com os clubes e criar um campeonato nacional de basquete, que com o passar dos anos vai ganhando estrutura, reconhecimento e resultados.

 Inspirado no ideal modelo da NBA, a NBB vai se ajustando e se moldando aos poucos para atender as necessidades de investidores, patrocinadores, dos clubes e da Globo. Mudança nos playoffs, mudança no calendário, brasileiros repatriados e gringos no meio.

 E como não pode faltar nada neste "cópia brasileira", é lóogico que o All Star Game tinha que marcar presença.

 

 O jogo das estrelas do basquete americano já é parte do calendário e da cultura do povo da terra do Tio Sam.

 Aqui, mesmo não sendo uma tradição, o evento vem acontecendo ano após ano, se garantindo com atrações como campeonatinho de enterradas, de três pontos, de fundamentos gerais e é claro, o jogo principal.

 Este ano, o jogo das Estrelas opôs uma seleção de jogadores brasileiros da NBB contra uma seleção de gringos da NBB.

 Os brasileiros tinham, além do total apoio do torcedor de Franca, seis jogadores que disputaram o Mundial na Turquia no ano passado. Ou seja, já estavam ma o menos entrosados.

 

 O jogo era uma brincadeira, um "showzinho", com direito a juiz entrando em quadra e fazendo cesta de três pontos, repórter da Globo dando passe pra cesta, apresentadores da mesma Globo brincando de lance livre, telespectadores em quadra e tudo que tem de direito.

 Destino: Franca, considerada a capital do basquete no Brasil.

 E, como dizem, por ser uma brincadeira, o resultado pouco importava, certo? ERRADO. E isso que me intriga.

 

 Que me perdoem os corretos, mas competir é o caramba: O IMPORTANTE É GANHAR.

 Não importa se em amistoso, jogo preparatório, pelada ou final da Copa do Mundo. Ninguém entra pra perder, mesmo brincando e ponto final. Não sejamos hipócritas.

 

 O Brasil não entrou pra perder. Começou dominando o jogo e mostrando o entrosamento que vimos no Mundial e no Sulamericano passado.

 Mas aí deu pane.

 Do segundo quarto em diante, o Brasil se perdeu e não se achou até agora. Tomaram UM BAILE dos gringos, que deitaram e rolaram no desleixo que estava a defesa brasileira.

 Principalmente esse cara aí embaixo: Robert Day.

 Anotou incríveis 50 PONTOS dos 115 do time gringo! E a maioria em bola de três!

 E fez questão de debochar da facilidade que encontrava no jogo: feels good! Realmente, alguém que deita e rola em cima de um time inteiro deve mesmo se divertir o tempo inteiro.

 

 Perder, meso que na brincadeira, daquele jeito, foi ridículo.

 Os adversários nunca tinham jogado juntos, nem treinaram, nunca jogaram em seleção nacional, alguns são até reservas de seus times e bastou entrar em quadra que pareciam se conhecer há milhões de anos. Isso porque a defesa brasileira estava um corredor enorme, e ninguém acompanhava, ninguém batia. Apenas deixava!

 Uma seleção que disputou um Mundial!!! E que vai disputar o pré-olímpico em agosto, uma seleção que quer ganhar Olimpíadas! Jogar daquele jeito?

 Ah, me perdoe, mas vão pra P&%*#¨& !!!

 

 Eu quero mesmo acreditar que era tudo brincadeira, que os jogadores estavam se poupando, ou que estavam cansados, ou que queriam perder ou que foram pagos pra isso.

 Mas a verdade dói.

 Perder desse jeito dói mais ainda.

 Talvez eu esteja sendo super competitivo, e provavelmente estou, mas não gostei mesmo do que vi. E não adianta esconder o problema pra baixo do tapete. Ele existe, e tá na hora desses marmanjos tomarem vergonha na cara e começarem a jogar bem.

 

 Salvo Marcelinho Machado, Murilo e Guilherme Giovanonni, que em alguns momentos deram espetáculo pra se ver.

 E só.

 

 Feitas as críticas, dirijo-me aos elogios.

 A CBB está realmente de parabéns pelo trabalho bem feito, honesto e competente. Há alguns anos atrás jamais se podia imaginar um evento desses, e tão bonito desse jeito. Não só pelo evento, mas pela NBB em geral, que está muito legal de se ver. Cada vez mais reforçada, cada vez amis disputada, cada vez mais incrível.

 Fora os shows programados, a torcida deu um show. Foi surpreendente ver que num país em que o basquete é deixado de lado, pois não é da cultura natural do brasileiro, ver uma empolgação, animação e interesse tão fortes mesmo. Com ares dignos de Maracanã, um templo pro esporte nacional.

 E tudo isso só exalta a imagem do basquetebol. Torço muito para o trabalho firme e bonito continuar com as gestões seguintes, pois os resultados serão futuros mas garantidos.

 O basquete é um esporte que se as vezes pode parecer pouco democrático por exigir altura, é sem dúvida muito saudável e muito divertido se praticado com cuidado e responsabilidade, como qualquer outro do gênero. Altamente recomendado a qualquer um justamente por não fazer parte da nossa cultura, por ser algo fora da "rotina futebolística" em que vivemos. Aposto que, logo logo, cairá nas graças do povo e será tão apreciado como o futebol.

 Tá, exagerei ^^'

 

O Pré-olímpico das Américas de basquete começa em agosto e garantirá vaga para as Olimpíadas de Londres em 2012. O Brasil está no Grupo A com Venezuela, Canadá, Repúbica Dominicana e Cuba.



 Escrito por Danilo Albuquerque às 18h57 [] [envie esta mensagem] []






 
 

Primeira e mais importante

http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2011/01/mano-chama-julio-cesar-e-deixa-fora-jogadores-que-atuam-no-brasil.html

Classificação:

 

 Sei que prometi não falar de assuntos passados, mas quando se trata da primeira e mais importante convocação da seleção brasileira, eu abro uma excessão para avaliá-la.

 Não vou por todos os nomes aqui. Eles estão no link, na matéria do Globoesporte.com. Falarei das principais novidades.

 

Julio Cesar de volta

 O goleiro da Copa e melhor do Brasil está de volta! Mesmo depois de um tempo machucado e voltando a treinar com bola, JC volta a ser relacionado, contrariando uma preferência do Mano: trazer quem está bem no momento. Só veio porque tem bagagem, o mesmo serve para o reserva Gomes.

 Mesmo fora de ritmo, torço muito para vê-lo em campo, apavorando a França!

 

Novatos

 Mano provou que gosta de ver futebol que ninguém vê, trazendo jogador que ninguém conhece.

 Os novatos Renato Augusto e Jadson vão ter logo uma prova de fogo: jogaço no Stade de France, jogo daqueles pra ninguém pôr defeito e comprar ingresso pra camarote!

 Não sei se era correto trazer os dois, mesmo jogando bem, pra um compromisso TÃO IMPORTANTE como esse. Vai ser sem dúvida muito complicado, ainda mais pra alguém sem experiência com a amarelinha. Nesse ponto, eu desaprovo a vinda dos dois. A escolha é boa, a hora não.

 

Geral

 Já era hora de Marcelo vir jogar pela tão sofrida lateral esquerda do Brasil. Pode se firmar e essa é a chance.

 Zagueiros competentes, Luisão vai dar maturidade e Breno já merecia faz tempo.

 Hernanes voltando pra jogar na frente, diferente da poosição de volante que vinha jogando, e aprovo a mudança. Anderson é uma incógnita, mas sempre me surpreende.

 O ataque é bom, mas não gosto do Hulk. Sei que ele é o craque do Porto, artilheiro, mas não me convence. Não tem bala pra jogar na seleção, me desculpe. Os outros são dignos.

 

 Nota 3 (de 5), na esperança de dar nota 10 ao time em campo.



Categoria: Avaliação
 Escrito por Danilo Albuquerque às 22h08 [] [envie esta mensagem] []






Polêmicos

 Parece maldição.

 

 Tem jogadores no futebol brasileiro que tem a carreira mais lembrada por confusões e problemas do que por conquistas e títulos. Craques, ídolos das torcidas, vários jogadores comumente se envolvem em tormentas durante seus períodos em grandes clubes, muito pela badalação e a empolgação, ou talvez por mau caráter e falta de escrúpulos.

 Alguns consegue ser superiores às polêmicas e mostram um futebol digno, maravilhoso e vitorioso.

 Mas tem jogador que nasceu pra sofrer.

 

 Não é novidade pra ninguém que o Vasco está jogando um futebolzinho digno de várzea já faz um bom tempo. Não consegue um mínimo de expressão em nada, sempre mediano, muitas vezes abaixo da média, sempre lutando contra o rebaixamento, isso quando não o perde.

 Nenhuma novidade.

 E todo ano parece que essa diretoria, se assim posso chamar, usa de certos meios para deixar a situação cada vez pior, quase ao ponto do insustentável, beirando o insuportável. Parecem fazê-lo de propósito, pois todo ano é a mesma coisa.

 

 A trapalhada da vez de Roberto Dinamite e seus incompetentes foi trazer dois jogadores fim de carreira na esperança de dar "experiência ao grupo".

 São eles Felipe, ex-Flamengo, e Carlos Alberto, ex-Corinthians. Belas contrataões, hein? Parabéns ¬¬

 

 

 E quando todos achavam que vinham mais confusões ao time, fomos surpreendidos novamente!

 

 

 Eles foram comportados! Se preocuparam em jogar bola!

 

Oooooooooooohhhh

 

 Estavam curados do mau comportamento, mas não do mau futebol.

 Foi simplesmente RIDÍCULO seus desempenhos na equipe cruzmaltina. Ou viviam no departamento médico, ou na banheira.

 

 Resultado disso tudo? Hoje pela manhã o técnico PC Gusmão foi demitido (como se fosse culpa dele ¬¬) e os dois pernas de pau foram afastados. Pro bem deles, pois a torcida já jurava o Carlos Alberto de morte.

 

 A indignação do torcedor vascaíno é uma lástima.

 Primeiro caíram num conto do vigário, na ilusão de ter dois craques pratas da casa voltando a jogar bem e levando o Vasco a onde merecia estar, depois vendo e se desesperando com os resultados, com as lesões, com as discussões, com as palavras mal-dadas. Uma ruína.

 Três derrotas em três jogos, pra três times pequenos. Quem suporta isso?

 Não estou declarando meu apoio a que apedrejem os carros dos jogadores, ou de diretores, por mais irresponsáveis e impotentes que sejam. Violência gera violência, e nada ajuda o clube.

 Estou declarando, e isso sim somente, de maneira quase que desesperada, para que haja REFORMULAÇÃO e MUDANÇAS pra ontem!

 Está ruim? Nada que um trabalho honesto, esforçado e unido não resolva.

 

 E que fique claro: São Januário não é lugar de reabilitação de casos perdidos.

 

 

 É preciso voltar a ser Vasco.



 Escrito por Danilo Albuquerque às 21h42 [] [envie esta mensagem] []






Velozes e corruptos

 A Fórmula 1 é curiosa.

 

 Todo ano tem escândalo, a corrupção por detrás sempre fica evidenciada mais e mais, tem briga de poder, suborno, espionagem...

 E nem por isso perde seu charme e sua graça.

 

 Há meses atrás, enquanto o campeonato de 2010 ainda estava a plenos vapores, mais um escândalo, como tantos outros, foi escrachado e veio a tona, talvez por um descuido de um ou incompetência de outro: a polêmica ultrapassagem de Alonso em Felipe Massa, sendo que o brasileiro estava liderando a prova e Alonso, na frente na classificação, precisava dos pontos da vitória para se aproximar dos líderes, o que de fato veio a acontecer mas que não deu em nada.

 Foi um horror para a reputação: dirigentes sem jeito, alguns na pura cara de pau defendiam a atitude enquanto milhares de fãs no mundo todo se revoltavam e se sentiam traídos pela escuderia mais famosa do mundo.

 Sujeira em cima de sujeira, terminando num pedido formal de desculpas e numa diplomacia nojenta.

 

 Meses depois, cá estamos nós, nos boxes de mais uma temporada automobilística.

 Montadoras mostrando seus carros, cheios de inovações que no fim nunca dão certo.

 Pois bem, a Ferrari foi uma delas.

 

 

 Apresentou o novo carro para o ano, o F150, cheio de atrações específicas.

 Entre as novidades estão: a volta do KERS, pneus agora da Pirelli, asa dianteira um pouco mais levantada e aberturas na asa traseira para dar mais aerodinâmica ao carro nas retas.

 Mas a maior novidade que eu queria ouvir era se o jogo de equipe ia continuar. Pra um escândalo daqueles, é natural querer saber da postura da equipe neste ano.

 E quem disse que foi dito algo sobre isso? NADA!

 

 Não sei se a memória da imprensa é tão curta ou se o sigilo é tão repressor, mas é impossível ninguém querer saber sobre algo tão marcante como foi aquilo!

 Não é a toa que são italianos, agiram novamente como mafiosos e saíram impunesw e bem na fita.

 

 Não dá pra criticar de verdade algo que eu não sei de verdade. Vai ver são realmente águas passadas, a equipe está em outra e o jogo de equipe enfim se mostrou tão horroroso quanto se mostrou ao público.

 Mas na moral, alguém acredita nisso? Aquele Luca di Montezemolo tem a cara perfeita de um "Poderoso Chefão", daqueles que os fins justificam os meios.

 E uma vez ladrão, sempre ladrão.

 

 Eu, como a maioria dos torcedores e fãs da velocidade, torço para que essa maré de mau caratismos acabe de vez e que prevalece o espírito esportivo limpo, justo, digno e transparente. Assim como também gostaria de ver a Ferrari bem, com seus dois pilotos disputando o título, para prevenir qualquer chance de maracutaias. É a melhor do mundo, indubitavelmente, e está na hora de consagrar sua superioridade nas pistas, e não nos bancos.

 



 Escrito por Danilo Albuquerque às 20h35 [] [envie esta mensagem] []






 
 

Futebol : esporte insano jogado por uns tipos semelhantes a escravos e gladiadores, apreciado por hordas de fanáticos ensandecidos e organizado por maltas de espertalhões"

 

Autor: Rogério Silvério de Farias

Buscar na Web "Rogério Silvério de Farias"



Categoria: Citação
 Escrito por Danilo Albuquerque às 19h55 [] [envie esta mensagem] []






Futebol repatriado

 É costume dizer que "a moda muda". No entanto, esta parece que veio para ficar. Repatriar jogadores brasileiro de grande sucesso no exterior, mas que estão em baixa no momento, parece ser não só uma tendência de verão, mas um hábito já comumente praticado que vem salvando alguns clubes dentro e fora de campo.

 Não quero me desviar do assunto principal deste post citando nomes de jogadores que voltaram à terra natal, limito-me a dizer os principais e que ainda vigoram: Ronaldo, Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho são exemplos mais que suficientes.

 Mas aqui em São Paulo não se fala em outra novidade senão a de Rivaldo.

 

 

 Sem tanto brilhantismo e sucesso como Ronaldo e Roberto Carlos e sem tanta enrolação como Ronaldinho, a história de amor entre Rivaldo e São Paulo não possuiu capítulos e sequer pode-se chamar de novela.

 Não que ele não mereça, ou que ele deva alguma coisa aos outros nomes citados. É pentacampeão do mundo como qualquer um dos outros, e melhor do mundo em 1999, assim como Ronaldo, assim como Ronaldinho, assim como Kaká...

 Enfim, Rivaldo é tão bom quanto.

 

 Prova disso é justamente o fato de chegar sem os holofotes imensos como os que os outros tiveram. Mesmo esntando em mesmo nível. Injustiça? Nem um pouco mesmo.

 Rivaldo não precisou de festa, de evento especial, de apresentação frente a uma multidão de torcedores, de caixas de som, de nada. Chegou como qualquer outro jogador, cumprindo honestamente os compromissos da profissão, cheio de dignidade, respeitando e impondo respeito.

 Eis um golaço do São Paulo, que na minha opinião é o maior clube do Brasil, mesmo não jogando o melhor futebol. Simpelsmente porque quem tem estrutura e tem história, não precisa de showzinho.

 

 E Rivaldo, sem showzinho, chega no auge de seus 38 anos, o que para uns é o início de uma aposentadoria, para ele é o iníco de uma vida nova. Empolgado e entusiasmado como um garoto que sobe da base, o craque mantém a mesma vontade de entrar em campo de quando entrou pela primeira vez oficialmente. Aquele brilho nos olhos de um garoto que vê um estádio pela primeira vez. Mesmo "velho de guerra", Rivaldo parece novo e inédito no futebol.

 E por isso, e só por isso, acho que esta foi a melhor contratação desta janela de transferências.

 Eis claramente um exemplo de profissional competente e engajado com o dever, daquele tipo de jogador que dá o sangue em campo, que ao cair numa falta se levanta sem reclamar e corre pra roubar uma bola roubada. E tem físico para isso, corre o campo inteiro, o tempo todo.

 

 Vem para usar a 10, mesmo não sendo propriamente um 10. Mas que se danem os esquemas táticos!

 Um camisa 10, além de ser aquele que cria as jogadas e distribui para as conclusões, tem que ser o nome do time, o homem de confiança, para dividir a responsabilidade e passar confiança. E tem alguém melhor para isso do que o experiente Riva?

 Mesmo não sendo como Hernanes, ao qual o São Paulo ainda hoje é totalmente órfão, ele vem para dar forma e sustentação para um incompleto Tricolor, que se tem atacantes em boa fase, tem meio-campistas desordenados.

 Se deixar ele decide. Então está decidido: a 10 está em boas mãos (ou seria em bons ombros?).

 

 

 Quanto ao caso de Luis Felipe Scolari ter vetado a vinda dele ao Palmeiras, mesmo o craque querendo vir, não tenho nada mais a dizer do que LAMENTÁVEL.

 Eu não sou o Felipão, não sei o que se passava na cabeça dele, e não sou Deus para julgar ninguém. Mas acho que se realmente houve ingratidão por parte do técnico (já que ele foi indicado pelo próprio Rivaldo para ir treinar no Uzbequistão), ele devia pelo menos pedir desculpas e admitir a verdadeira cafagestagem que ele cometeu. Erro assim não é erro, é bem pior.

 

 Ruim pro Felipão, pior para o Palmeiras, bom para o São Paulo, melhor para o futebol.

 Quero ver até onde essa tendência (ou jogada de marketing, chamem como quiserem) vai. Quem mais pode voltar pro Brasil: Luis Fabiano, Kaká, quem sabe?

 Estou louco pra saber!

 

 Mas de uma coisa eu sei: o bom futebol voltou ao Morumbi.



 Escrito por Danilo Albuquerque às 19h47 [] [envie esta mensagem] []






O Retorno

 

 Voltei =)

 

 Depois de um mês parado, meu blog volta a ativa! E mais ativo do que nunca, posso dizer.

 

 Estive eu curtindo minhas férias tão sonhadas, depois de um exaustivo e sofrido ano, e admito que até agora ainda permaneço num ritmo um tanto quanto desacelerado.

 

 

 E desde logo já declaro que assim continuarei, pelo menos por um bom tempo (até porque todo mundo sabe que o ano só começa depois do carnaval xD).

 No entanto, a bola não espera por tanto tempo assim. Os estaduais já começaram, ao contrário deste blog, a Libertadores já começou, o pré-olímpico sub-20 já está quase acabando, fora Grand Slam de tênis, Superliga de vôlei e NBB, NBA e afins. De tudo isso um pouco eu me disponho a falar, e já não é novidade.

 

 Relevante e importante de verdade que eu tenho para falar é que talvez eu não tenha mais muito do meu tempo disponível para vir aqui expressar minhas neurastênicas opiniões.

 Isso porque esse ano promete ser ainda mais exaustivo e mais sofrido do que qualquer outro que eu já tive! E por tais motivos sinto faltar-me as oportunidades agradáveis, tranquilas e convenientes para aqui voltar.

 

 Por agora, tudo bem. Até quando dura essa tudo bem é que é o problema...

 Torcer para que dure, ora pois.

 

Passar o passado

 Não quero começar esta minha 2ª Temporada do blog falando de assuntos passados, por mais relevantes que tenham sido. Assim como também não espero perder o tempo do fato, da notícia, deixá-la passar em branco para ser retomada depois como quem pega um jornal velho e nele procura notícias.

 A notícia é o que acontece hoje. E ponto.

 Pontual é a palavra, e nada mais. E ponto.

 

"Só o que está morto não muda"

 É assim que pretendo rumar meu blog, enquanto houver tempo para ele: mudando.

 Tanto pelo texto, quanto pela forma, quanto pelo modo. Aos poucos espero buscar novas maneiras de fazer o que mais amo com muito mais qualidade e perfeição, já que blogar não tem manual de instrução.

 Quem sabe mais fotos? Quem sabe mais vídeos? Menos texto? Mais programas? Mais assuntos? Menos chatice?

 Quem sabe.

 

 Sempre tive também vontade de falar não só de futebol e de esportes em geral, mas de assuntos que deviam ser de interesse público mas estão fadados aos ostracismo, como política, tão bem articulados pelo caro amigo Leonardo do blog LeioLeo.

 É só um pensamento alto, não estou afirmando nada de antemão. Ainda me sinto inseguro quanto a novos horizontes aos quais nunca tive a devida coragem de navegar.

 Fato é que, como todo brasileiro, meu porto seguro é o futebol.

 

 Mas quem sabe ^^

 

 E ah sim, pretendo também fazer mais videologs, desta vez mais sucintos, objetivos e claros, de um modo mais "digerível", se assim posso dizer. Começando por uma câmera melhor, pois as condições atuais são precárias e preocupantes

=)

 

 Obrigado por acompanharem esta insanidade de blog já há tanto tempo. Como disse, meu desejo é continuar na rede, mesmo que a vida particular me roube e me sequestre para assuntos mais urgentes e necessários.

 

 Mas não importa o que aconteça, se houver tempo ou se for um segundo, nada é mais urgente e mais sagrado quanto a bola rolar no gramado, nem mais necessário nem mais importante do que o mínimo instante, a palavra entalada, a garganta engasgada, o grito sublime, a voz elevada a clamar aos sete ventos não haver melhor momento senão aquele em que o mundo todo parou: o clímax, o auge, o GOL.

 



 Escrito por Danilo Albuquerque às 22h10 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 





BRASIL, Sudeste, OSASCO, Vila Yolanda, Homem, de 15 a 19 anos, Portuguese, English, Esportes, Música
MSN - danilo_goleiro@hotmail.com









 
 


Todas as mensagens
Link
Evento
Citação
Avaliação
Liga dos Campeões



Link-me!


Link-me!


venda de terreno em pouso alegre Sport Blogs - Blog Catalog Blog Directory

UOL - O melhor conteúdo
De tudo um pouco - Sex and the City
Giro Global
Futebol Fã Clube
Visão de Jogo
LeioLeo
Blog de edimeli
Blog do Matthew (Mundo da bola)
G O A L FC
Simples como pão
Bola na Rede
Pensamentos de Janara
Blog Fala! Oton
Análise F.C.
Blog do Manuel
DADO.PAG
FIFA Arena
PES World Next Gen
Maníacos do Futebol
Blog do escritor Emídio Lopes
Outros Papos
Palavra de Nanael
Blog da Olívia
Futebol sem Firúlas
Esperando na Janela
FLOYD SIQUEIRA
Love Girl
Cantinho da Nadjinha
Nação Rubro-negra
Sitting, waiting, wishing
Blog da Gabs Righetti
Blog da Mila
Blog da Comunicação
Futebol, Mulher e Rock n' Roll
Ih Legal - Penso, Blogo, Existo
 
 

Dê uma nota para meu blog